quinta-feira, 8 de setembro de 2011

FEBREFOBIA

A fobia da febre,com a participação dos médicos, corre solta, levando os pais a exagerarem no seu tratamento, com risco de superdosagem de medicação. A febre não é uma doença, mas sim um sintoma,na maioria das vezes, decorrente de uma resposta normal do organismo à uma infecção. A febre é uma das manifestações que, mais frequentemente, leva uma criança ao Pronto Socorro.Contudo, na realidade, só em certas situações especiais a criança precisaria ser levada imediatamente para uma avaliação médica por causa de uma febre: idade inferior a 3 meses, temperatura acima de 39,4ºC(especialmente com calafrios),duração acima de 72h e com comprometimento do estado geral. Segundo a Organização Mundial de Saúde, o nível recomendado para o emprêgo de antipiréticos seria de 38ºC.Todavia, 65% dos pediatras sempre prescrevem medicamentos contra a febre,90% das vezes para temperaturas entre 37,5 a 38ºC, e, o que é pior, 50% deles aconselham, explicitamente, os pais a alternarem antitérmicos(paracetamol,dipirona e ibuprofeno),prática formalmente contraindicada por todos os consensos de especialistas. Ao se prescrever um medicamento contra a febre, objetiva-se,apenas, minimizar o desconforto e a dor, e não a normotermia, que só se evidenciará após a extinção da causa.

Nenhum comentário: